segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Situação dos jogadores do Botafogo - Atacantes

Hoje publico a última parte do levantamento sobre a situação contratual dos jogadores do Botafogo.
No sábado, você conferiu aqui os defensores e no domingo, os meias. O ataque é o setor que mais deve ter alterações para a próxima temporada, mas um nome já está confirmado: Roger, ex-atacante da Ponte Preta.

Atacantes:
Neilton - 5%, emprestado pelo Cruzeiro até o fim desse ano, foi repassado pela equipe mineira ao São Paulo.
Sassá - 100%, contrato até o fim de 2017.
Rodrigo Pimpão -100%, contrato até o fim de 2019.
Vinícius Tanque - 100%, contrato até o fim de 2017.
Luís Henrique - 90%, contrato até maio de 2017. Com possibilidade de sair de graça no fim do contrato, Botafogo informou que não chegou a um acordo com a mãe e o empresário do atleta. Deve acertar com o Atlético-PR, mas o alvinegro vai ter 35% dos seus direitos econômicos ainda.
André Luis -  30%, contrato até o fim de 2017
Geovane Maranhão - 0%, tinha contrato até o fim de 2016, voltu para o Madureira. 
Anderson Aquino - 100%, contrato até o fim de 2016. Não continuou.
Renan Gorne - 68%, contrato até 2019. Subiu em 2016.
Pachu -  75%, contrato até o meio de 2017. Subiu em 2016.
Roger -  contratado junto a Ponte Preta para ser o centroavante da equipe no ano que vem. Experiente, tem 31 anos e marcou 22 gols em 2016.
Guilherme -  pertence ao Grêmio, tem 21 anos e vem emprestado até o fim do ano.
Joel - emprestado pelo Cruzeiro até dezembro

Minha análise:  
Acho que é o setor que o Botafogo mais precisa de reforços para a próxima temporada. Pelo menos uns três. A maior parte dos jogadores é inexperiente e não empolga. Artilheiro da equipe no ano, Sassá terminou a temporada arrumando confusão. Precisa colocar a cabeça no lugar se quiser continuar. Se surgisse uma boa proposta por ele, acho que valeria a pena vender. Neilton também não vai ficar, então o clube vai precisar ir ao mercado para repor sua saída.

domingo, 18 de dezembro de 2016

Situação dos jogadores do Botafogo - Meias

Ontem, postei aqui a primeira parte da análise do elenco do Botafogo formada pelos defensores. Hoje, a segunda parte é sobre os meias. Lembrando que o levantamento mostra a porcentagem que o Botafogo tem nos direitos econômicos de cada jogador e a data do término de contrato. Em uma época com tantas especulações no mercado, essas informações são importantes na hora de planejar a próxima temporada. O Botafogo precisa voltar a pensar grande: a Libertadores já começa no final de  janeiro e com uma pedreira logo de cara: o Colo Colo, do Chile.

Meias
Airton - 100%, contrato até o fim de 2017.
Rodrigo Lindoso - 50%, contrato até o fim de 2017
Bruno Silva - 40%, contrato até o fim de 2018.
Dudu Cearense - 100%, contrato até o fim de 2017.
Dierson - 75%, contrato até o fim de 2017. Emprestado ao Vejle da Dinamarca
Bochecha - 80%, contrato até o fim de 2019.
Matheus Fernandes -  100%, contrato até março de 2019.
Fernandes - 60%, contrato até o fim de 2018.
Lucas Zen -  55%, contrato se encerrou no fim de 2006. Não continuou.
Sidney - contrato se encerrou no fim de 2016. Foi para o Campinense.
Camilo - 100%, contrato até o fim de 2018.
Leandrinho - 70%, contrato até o fim de 2018.
Gegê - 100%, contrato até o fim de 2017.Emprestado para o ABC de Natal até o fim do ano. Dessa forma, não jogará mais pelo Botafogo.
Octávio - 0%,contrato até o fim de 2017.
Andreazzi - 0%, contrato até o fim de 2017

Yuri-  80%, contrato até o meio de 2017. Emprestado para o Criciúma.
João Paulo -  Contrato até o fim de 2019.
Montillo - Contrato até o fim de 2017.

Minha análise: 
Acho que o Botafogo poderia ir atrás de um primeiro volante para disputar vaga com o Airton, que desfalca muito a equipe por lesão e suspensão. 
Os três meias gringos contratados também não funcionaram. A esperança agora recai sobre um argentino: Montillo, grande contratação para a Libertadores.  Chega para ser o craque do time dentro e fora de campo. Dentro, vai ajudar o sobrecarregado Camilo. Fora, o clube precisa pensar em ações de marketing para estreitar as relações entre o argentino e a torcida.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Situação dos jogadores do Botafogo - Defensores

Com o fim do Brasileirão e a vaga na Libertadores do ano que vem garantida, os clubes já começam a planejar seus elencos para a próxima temporada. No Botafogo, não é diferente. Fiz um levantamento da situação contratual dos jogadores do atual elenco. Com que podemos contar pro ano que vem? Em caso de venda de jogadores, qual é a porcentagem que o Botafogo tem direito? Essa é a primeira das três partes do levantamento. Naturalmente, mais movimentações devem ocorrer nas próximas semanas e, na medida em que elas forem ocorrendo, vou atualizando aqui.


Goleiros: 
Jefferson - 0%, contrato até o fim de 2017.
Gatito Fernandez -  contratado junto ao Figueirense para ser o goleiro titular na próxima temporada.
Helton Leite - 100%, contrato até o fim de 2018.
Saulo - 100%, contrato até o fim de 2017.

Zagueiros:
Emerson Santos - 55%, contrato até o fim de 2017.
Joel Carli -100%, contrato até o fim de 2018.
Emerson Silva - 100%, contrato até o fim de 2017.
Renan Fonseca - 100%, contrato até o fim de 2017.
Marcelo - 60%, contrato até o fim de 2019.
Igor Rabello - 55%, contrato até o fim de 2017.

Laterais:
Luis Ricardo - 100%, contrato até o fim de 2017.
Marcinho -100%, contrato até o fim de 2018.
Diego - 100%, contrato até o fim de 2017.Emprestado para o Jaguares de Chiapas, do México até o fim dessa temporada
Victor Luís - 10%, contrato até o fim de 2017.
Gilson - 100%, até o fim de 2017.
Jonas -  100%, contrato até o fim de 2017.
Arnaldo - contrato até o fim de 2017.

Minha análise: 
A contratação de Gatito Fernandez me parece acertada já que não foi possível chegar a um acordo com o Sidão. Eu contrataria mais um goleiro ainda para a reserva. Emprestaria Helton Leite, que não inspira confiança já que ele ainda tem contrato.
Na zaga, emprestaria também o Renan Fonseca. Nas alas, temos urgência de um lateral esquerdo para repor a saída do Diogo Barbosa e uma possível volta de Victor Luís ao Palmeiras.Na direita, Luis Ricardo deve voltar e recuperar a vaga de titular. Eu renovaria com o Alemão, que fez um trabalho correto nessas poucas partidas em que jogou.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Capita




Que o Carlos Alberto Torres era conhecido no mundo inteiro, todo mundo já sabe e a repercussão da mídia internacional hoje mostra isso. Mas eu conheci o Capita pessoalmente em 2014. Era óbvio que como amante do futebol e botafoguense eu já o conhecia. Mas pessoalmente a primeira vez foi em há dois anos, quando eu era estagiária e rodava o TP do Troca de Passes. Lembro que antes do programa, ele fez questão de cumprimentar um a um todos do estúdio, inclusive eu que ficava naquele cantinho escuro. Rodei muitos TPs na vida, mas nunca ninguém tinha parado para falar comigo pessoalmente e apertar minha mão antes do programa. O que dirá um cara como o Carlos Alberto Torres. Lembro que na mesma hora mandei uma mensagem para o meu pai, também botafoguense, para comentar aquele feito.

A gentileza dele comigo se estendeu por todas as vezes que eu rodei o TP do Troca. Sempre fez me questão de cumprimentar. Eu nunca fui famosa. Mas imagino que para um cara da classe dele isso não estava em questão, era uma questão de educação e gentileza.

Esse ano, já contratada também estava no Troca de Passes, agora como editora, no aniversário do Capita. O programa já ia começar quando me deram uma "missão": comprar uma torta de aniversário para ele. Já era de noite, as lojas estavam fechadas, mas dei um jeito. Você negaria uma ajuda para homenagear um cara que é ídolo mundial? A gente sempre arruma um jeito. Consegui com a ajuda dos colegas providenciar o doce e fazer uma singela homenagem surpresa ao vivo no Troca de Passes. Daquele dia, guardo essa foto que ilustra essa matéria de recordação.


No último domingo, também estava no Troca de Passes, a última participação do Capita em um programa de TV. Também era o dia do aniversário do Pelé. E na pequena homenagem que separamos,  o primeiro lance tinha que ser o passe do Carlos Alberto Torres para o gol do Rei.

Hoje demorei a acreditar quando soube a notícia hoje. "MAS NÃO É POSSÍVEL, EU FIZ O TROCA COM ELE NO DOMINGO!"

Tão certeiro como  o chute que fechou a goleada contra a Itália na final da Copa de 70 é a certeza que tudo que vivemos aqui acaba um dia.

Mas a gente tem algumas opções de como controlar o jogo da vida . Uma delas é entrar com tudo, de primeira, e  marcar seu nome na história. Como naquele chute...

Obrigado, Capita!


segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Melhores do Brasileirão 2015


A segunda após a última rodada do Brasileirão é tradicionalmente marcada pela entrega dos prêmios de melhores jogadores de diferentes rankings e entidades. Reuni aqui cinco listas em que jornais/sites/entidades escolheram os destaques do Campeonato Brasileiro 2015. Nem todas utilizam os mesmos critérios. Das selecionadas, Bola de Prata, Armando Nogueira e Lance! seguem uma lógica semelhante: seus analistas avaliam rodada a rodada todos os jogadores que entraram em campo pelos 20 clubes da série A e conferem notas a eles. No final, são premiados aqueles que obtiveram a melhor média. Já o prêmio da CBF é feito com em uma votação realizada pela própria entidade com jogadores, técnicos e capitães dos times da série A. Por fim, com uma proposta completamente diferentes, achei interessante também montar o que seria a seleção do Cartola FC, com base na média de pontos dos jogadores. Média essa que no fantasy game é determinada a partida de estatísticas que conferem pontos aos atletas. Assim, quem fez gol, deu assistência, roubou bolas recebe uma pontuaão determinada para cada item.  Para evitar distorções, apenas considerei atletas que disputaram mais de 10 partidas pelos seus clubes na seleção do Cartola.

O esquema adotado em todas as seleções foi o 4-4-2, com dois volantes e dois meias no meio-campo.

Nessa brincadeira, uma compilação de diferentes prêmios, misturando critérios, apenas um jogador está presente nas cinco seleções do campeonato: Elias, volante do Corinthians. Destaque também para outro atleta do time paulista como Renato Augusto,  eleito o craque do campeonato nas quatro premiações e "esquecido" apenas na seleção do Cartola.

E na sua opinião, como seria a sua seleção do campeonato? Em sublinhado, os craques de cada seleção.

Bola de Prata
Marcelo Grohe (Grêmio)
Rafael Galhardo (Grêmio)
Gil (Corinthians)
Pedro Geromel (Grêmio)
Douglas Santos (Atlético-MG)
Elias (Corinthians)
Rafael Carioca (Atlético-MG)
Renato Augusto (Corinthians)
Jadson (Corinthians)
Luan (Grêmio)
Lucas Pratto (Atlético-MG)

Armando Nogueira
Weverton (Atlético-PR)
Patric (Atlético-MG)
Jemerson (Atlético-MG)
Pedro Geromel (Grêmio)
Douglas Santos (Atlético-MG)
Gabriel (Palmeiras)
Elias (Corinthians)
Renato Augusto (Corinthians)
Jadson (Corinthians)
Luan (Grêmio)
Luan (Atlético-MG)


CBF
Cássio (Corinthians)
Marcos Rocha (Atlético-MG)
Gil (Corinthians)
Jemerson (Atlético-MG)
Douglas Santos (Atlético-MG)
Elias (Corinthians)
Rafael Carioca (Atlético-MG)
Renato Augusto (Corinthians)
Jadson (Corinthians)
Luan (Grêmio)
Ricardo Oliveira (Santos)

Lance!
Vanderlei (Santos)
Fagner (Corinthians)
Felipe (Corinthians)
Gil (Corinthians)
Zeca (Santos)
Ralf (Corinthians)
Elias (Corinthians)
Jadson (Corinthians)
Renato Augusto (Corinthians)
Biro-Biro (Ponte Preta)
Gabriel (Santos)

Cartola
Danilo Fernandes (Sport)
Carlinhos (São Paulo)
Rodrigo (Vasco)
Walisson Maia (Coritiba)
Uendel (Corinthians)
Otávio (Atlético-PR)
Elias (Corinthians)
Jadson (Corinthians)
Felipe Menezes (Goiás)
Nenê (Vasco)
Henrique Almeida (Coritiba)

sábado, 14 de novembro de 2015

Análise do elenco do Botafogo - Ataque

Hoje, a terceira e última parte da análise do atual elenco do Botafogo agora sobre os atacantes. Antes já avaliamos a defesa e meio de campo alvinegros.



Atacantes:
Navarro - Contratado junto com Bazallo, embora desconhecido, foi o integrante da dupla que deu certo. É muito bom no jogo aéreo, mas desfalca constantemente o time por problemas musculares. Seria interessante ver como se comportaria em um novo ano, fazendo a pré-temporada com elenco inclusive.
Neilton - Comparado a Neymar no início da carreira, passou por Santos e Cruzeiro sem sucesso. Chegou também com a série B já em andamento emprestado pelo time mineiro. Terminou o ano como titular, mas não deve continuar pois o salário que recebe é muito acima do teto alvinegro.
Luis Henrique - O mais jovem do elenco: tem apenas 17 anos. Foi o artilheiro da equipe sub-17 na disputa da Copa do Brasil e com o desfalque dos atacantes em certa altura da série B, foi promovido aos profissionais. Na sua estreia nos profissionais mostrou que tem estrela e balançou as redes duas vezes.
Sassá - Jogador também da base, mas que já está há algumas temporadas no profissional. É rápido e se destacou entrando no segundo tempo dos jogos. Quando teve uma chance desde o início e correspondeu, marcando três gols contra o Náutico, teve o azar de se machucar na partida seguinte. Rompeu os ligamentos do joelho e vai ficar seis meses parado.
Ronaldo - Era o artilheiro da Copa do Brasil pelo Ituano e foi contratado pelo Botafogo para suprir a ausência de Luis Henrique, convocado para o Mundial sub-17. Mandou três bolas na trave contra o Criciúma, quando teve a chance de ser titular, e fez o gol que garantiu o acesso contra o Luverdense.
Vinícius Tanque - Jogador das divisões de base, é centroavante que explora a força física. Acho fraco e o emprestaria para outro clube.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Análise do elenco do Botafogo - Meio de campo

Continuamos com a série de análise do atual elenco do Botafogo. Hoje, vamos analisar o meio de campo da equipe alvinegra. Ontem, já tínhamos conversado sobre a defesa em um post específico.



Volantes:
Willian Arão - Fez um ótimo campeonato estadual e mostrou uma vocação ofensiva que nunca teve toda sua carreira. É o jogador mais cobiçado do elenco. Apesar de o Botafogo ter prioridade na renovação de seu contrato, alguns jornalistas dão conta que já está acertado com o Flamengo.
Rodrigo Lindoso - Fez um ótimo Carioca pelo Madureira e chegou ao Botafogo logo após  a saída de René Simões. Demorou a ter oportunidades com Ricardo Gomes, mas terminou como titular e camisa 5 da equipe. Entretanto, não acho que essa seja a posição correta dele. Rendia mais no Madureira como segundo volante ou terceiro homem de meio-campo.
Serginho - Também contratado para o segundo semestre. Estava no Guarani e começou o ano na Caldense, vice-campeã mineira. Assim que chegou, assumiu a titularidade, mas perdeu espaço depois.
Camacho - Outro que não estava no Estadual. Começou como meia na base do Flamengo, embora no Botafogo atue como volante. Ganhou a titularidade com a lesão de Fernandes, mas não ficaria com ele para o ano que vem.
Airton - Esse é um caso curioso. Estava no grupo que fez a pré-temporada no início do ano, mas tinha um salário muito alto, acima do teto estipulado pela nova diretoria. Chegou a negociar uma renovação por termos mais baixos e não aceitou.  Ficou sem clube depois disso e acertou a volta ganhando bem menos pois a equipe não tinha nenhum camisa 5. No entanto, jamais entrou em campo. Não faz sentido continuar se não é sequer relacionado. Mas se não continuar por que então trouxeram de volta?
Bazallo - Chegou ao Botafogo depois da saída de Marcelo Mattos, Bil e cia. Tem o mesmo empresário de Navarro, mas nunca entrou em campo e quase não é relacionado. Como nunca vi jogar, não sabemos se tem qualidade. Mas outro que não faz sentido renovar.
Dierson - Alçado ao time com a saída de Marcelo Mattos, mostrou-se inseguro. Como o contrato vai até o final de 2016, vai continuar. Talvez seria interessante emprestar o garoto para que ele adquira mais experiência.

Meias:
Daniel Carvalho - Começou no Inter, tem passagens pela Europa e até pela Seleção Brasileira. Estava aposentado do futebol desde 2013 e passou o primeiro semestre utilizando as dependências do clube para manter a forma. O Botafogo acabou oferecendo um contrato para o segundo semestre. É um dos jogadores com maior qualidade técnica do elenco, no entanto tem muitos problemas físicos e dificilmente completa uma partida. Seu desempenho no segundo tempo quando começa como titular sempre cai.
Fernandes - Subiu no início do ano para os profissionais. Fez um bom Carioca entrando no segundo tempo, mas começou a perder espaço depois. Quando voltava a recuperá-lo, teve uma contusão que o afastou dos gramados.
Elvis - Contratado no início do ano, demorou muito a ter uma oportunidade por conta de problemas físicos. Fez o gol que garantiu a conquista da Taça Guanabara para o Botafogo. Na reta final da série B, tem sido preterido.
Diego Jardel - Veio do Avaí e foi titular no início do ano. Lento e irregular, não consegue manter a titularidade no time.
Gegê - Surgiu na equipe do Botafogo de 2013 de Seedorf e cia. Naquele ano, fez boas partidas, inclusive marcando em um clássico contra o Flamengo. Mas parece que o seu futebol se perdeu no tempo.
Lulinha - Indicação de René Simões que trabalhou com ele no Bahia. Pode atuar como meia ou segundo atacante. Sem René, perdeu espaço e não deve continuar.
Octávio - Jogador das divisões de base, já foi emprestado algumas vezes e tem um contrato mais longo. Na última, estava na Fiorentina, da Itália. Emprestaria ele novamente.
Tomas Bastos - Vice-artilheiro da série B no ano passado pelo Boa Esporte. Fez o gol da vitória contra o Flamengo no Carioca (com a ajuda do goleiro) e só. Nunca repetiu as atuações da temporada passada.